O nascimento de um
bebê e a gravidez são um ritual de passagem, não um procedimento médico.
 
A gravidez é um período extremamente importante na vida de
qualquer mulher. Diversas mudanças acontecem na vida da gestante e nem sempre é
fácil lidar com tantas mudanças. Mais uma vez, o yoga pode ser um aliado da
mulher que está esperando. Trabalhando tanto a mente como o corpo, o Yoga tem o
poder de auxiliar a gestante a se preparar melhor para o parto e para a nova
etapa da vida que está por vir. O yoga como sempre traz inúmeros benefícios físicos
e mentais para a mamãe e o bebê.
As posições variam a cada trimestre.
 No primeiro trimestre,
em função das grandes mudanças hormonais que ocorrem no corpo,  deve-se tomar grande cuidado, portanto, é
importante antes de procurar um professor de yoga, a gestante  buscar o aval do médico. Após isso,
basicamente a gestante deve aprender a ouvir e sentir o seu corpo, para saber o
que ela pode ou não fazer. Se você estiver sentindo muito enjoo, talvez seja
importante você descansar e não praticar. A maioria das posturas de Yoga para
gestantes são adaptadas para proteger o barrigão e não comprimir o útero. No
entanto, no primeiro trimestre o útero permanece relativamente pequeno e
protegido pela pélvis, portanto, compressão não é um grande problema. Porém, se
houver qualquer desconforto, precaução nunca é demais. Sempre é importante
lembrar que esse não é um tempo para avançar na sua prática e sim entrar em
maior contato consigo mesma, com o bebê e ficar atenta às mudanças que
estiverem acontecendo.
No segundo trimestre provavelmente muitos dos sintomas
iniciais, como enjoo matinal já se foram e agora pode ser o momento para você
solidificar a sua rotina de yoga na gravidez. Como agora a sua barriga já
começa a ficar mais aparente, esta é a hora que as adaptações começam a serem
usadas para as posturas. Este é um tempo para você se concentrar no
desenvolvimento da sua força e estamina, alinhando a coluna vertebral e criando
espaço para vocês dois respirarem e para o bebê se mover. A partir do segundo
trimestre é aconselhável evitar deitar por muito tempo com a barriga para cima.
O peso do útero em crescimento pode comprimir a vena cava, que é a veia que
leva oxigênio e sangue para o feto.
Já no terceiro trimestre a prática de yoga pode começar a
ficar um pouco mais trabalhosa, assim como todas as outras atividades (como
caminhar ou subir escadas). Portanto, este é um momento para de novo, pegar
leve, sentir a respiração, o bebê e observar. Todas as posturas que comprimem o
abdômen devem ser totalmente evitadas. Exercícios e alongamentos suaves podem e
devem ser praticados, sempre com cautela. Mais do que preparar a gestante
fisicamente, o yoga vai prepará-la mentalmente, fazendo com que se aprenda a
focar no momento presente  através da respiração.
Agachamentos com suporte são recomendados para ir preparando o corpo para o
parto.
De acordo com diversos estudos o Yoga na gravidez pode:
1.
Melhorar a qualidade do sono da gestante.
2.
Reduzir
o stress e a ansiedade.
3.
Aumentar
a força, flexibilidade e agilidade dos músculos usados no parto.
4.
Diminuir
dores na lombar, náusea, síndrome do túnel do carpo, formigamento, dores de
cabeça e respiração encurtada.
5.
Ajuda
a mulher a se conectar melhor com o bebê e a lidar melhor com a ideia de ser mãe.
6.
Ajuda
na preparação para o parto, aliviando a tensão ao redor do colo do útero e
aumentando a abertura da pelve.
7.
Ajuda
a restaurar o seu corpo, o útero, abdômen e assoalho pélvico, e no alívio de
tensão nas costas e desconforto materno após o parto.
8.
As
posturas de Yoga ou asanas trabalham suavemente sobre os órgãos reprodutivos e
da pelve garantindo uma gravidez tranquila e um parto relativamente fácil. Ao
nível sutil, estes garantem um melhor fornecimento de sangue e nutrientes para
o feto em desenvolvimento.
9.
Através
da meditação problemas mais profundos como neuroses, medos e conflitos, que são
tão comuns durante a gravidez são apaziguados e diminuídos.  A meditação traz consigo uma consciência
incrível que ajuda você a se conectar com o seu filho de uma forma que é
impossível explicar.
10.  Através de respiração ou pranayama é
garantida a oferta abundante de oxigênio e uma melhor força de vida para a
gestante e o seu filho. O controle da respiração também ajuda na hora de
suportar a dor do parto.
Pontos importantes a serem notados:
– Durante a gravidez é liberado um hormônio que aumenta a
flexibilidade dos ossos, músculos e tendões, esse hormônio tem a função de
preparar o corpo para o parto. Pode-se notar um aumento da flexibilidade em
geral durante este período, no entanto, deve-se tomar um cuidado extra para que
não se esforçar demais de maneira que  acabe se machucando ou se alongando em
excesso.
– Durante a gravidez é normal que se sinta mais sede e se vá
ao banheiro mais frequentemente, portanto, vá ao banheiro e beba água sempre
que sentir necessidade.
Paula Elisa, ministra aulas de Yoga para gestantes em Rio do Sul /SC.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *